O Reverberações Audiovisuais no Sertão é uma residência artística em audiovisual, que vai acontecer na sede do Coletivo Ecos do Caminho e na vila de Sagarana entre 10 e 16 de agosto de 2024. O encontro é uma ação do Meu cinema, Nosso território em parceria com o CineBaru – Mostra Sagarana de Cinema para alavancar a produção audiovisual pelo norte e noroeste de Minas Gerais. Um grande encontro entre realizadores de filmes premiados em pelo menos uma das sete edições do Cinebaru – Mostra Sagarana de Cinema e realizadores audiovisuais da região baiangoneira (BA, GO. MG e DF).

Serão selecionados 14 residentes, sendo: 

·  7 representantes de filmes premiados nas sete edições do CineBaru – Mostra Sagarana de Cinema; e 
·  7 realizadores audiovisuais com atuação na região baiangoneira (BA, GO. MG e DF). 

O Encontro será um espaço de fomento, oferecendo lugar, tempo, interlocução e financiamento para que os realizadores audiovisuais possam se concentrar em uma nova atmosfera de criação, se permitindo a novas experimentações.  

Inscrições: 02 de maio a 02 de junho de 2024
Resultado previsto da seleção: 7 de junho de 2024
Período de realização da residência: 10 a 16 de agosto de 2024

edital

SELECIONADOS PARA O REVERBERAÇÕES AUDIOVISUAIS NO SERTÃO – 2024

Com alegria anunciamos as 16 pessoas selecionadas para participar do Reverberações Audiovisuais no Sertão! Sim, você leu bem – não mais os 14 residentes como divulgado no edital, remanejamos o projeto para acolher um número maior de pessoas. 🙂

Se você faz parte desse grupo, seja muito bem-vinde/a/o à 4ª Edição do Meu Cinema, Nosso Território! Logo estaremos juntos em Sagarana, entre 10 e 16 de agosto. Foi muito desafiadora a seleção deste ano.

Cada ano que passa a seleção fica mais desafiadora, inclusive por ler tantas potências nas práticas entre os territórios. Agradecemos a todas as pessoas que se inscreveram pelo interesse e disponibilidade. Em breve teremos outras ações e novidades, vamos seguir juntos.

CATEGORIA 1

Ayanna Duran – GO
Lucas Barbosa Bois – MG
Ga Olho – DF
Marina Araújo – MG
Rafael Pinheiro Aguiar – MG

CATEGORIA 2

Ana Domitila Rosa Lemos Silva – DF
Arthur Boás da Silva Gonzaga – DF
Ava Heinrich Scherdien – DF
Gaia Schüler Costa – DF
Iago Coelho de Araújo – GO
João Gabriel Coura de Marins – GO
Keila Moraes Rodrigues – MG
Leandro Veneza Santos – BA
Luisa Macedo dos Santos – MG
Nadja Dulci de Carvalho – MG
Pâmela Germano Pacífico – DF

SUPLENTES

Nika Gomes Rosa – DF
Lucas Emanuel Campos Ribeiro – DF
Leandra Lima Pimentel – DF
Kênio Barbosa Fernandes – MG
Juliana Lucinda Venturelli – SP
Bernardo de Morais Pinto – GO

Equipe

Clique nos retratos para conhecer melhor cada membro

  • Retrato de Ana Cordeiro

Ana Cordeiro

Águas Lindas de Goiás Ana Cordeiro, nascida em Brasília e radicada no entorno, graduanda em comunicação e aprendiz do audiovisual. Produtora e planejadora no coletivo ÀWA, foi 1ª assistente de direção do curta-metragem Eu Era [...]

  • Retrato de Diego Zanotti

Diego Zanotti

Documentarista e psicólogo, Diego Zanotti produz filmes pelos interiores do Brasil retratando tecnologias ancestrais e contemporâneas de comunicação e presença, a partir da união entre o Cinema, Ecopsicologia e os processos coletivos de tomada de [...]

  • Retrato de Maria Miranda

Maria Miranda

É mãe, cerratense das bandas do Goiás, artista da dança e do movimento expressivo, e artivista ambiental pelo cerrado e sua gente. Doutoranda em Artes da Cena pela Unicamp, atua na fronteira entre a dança, [...]

  • Retrato de Simone Veloso

Simone Veloso

Mineira nascida e criada em Sete Lagoas, a mais nova de cinco irmãos, tornou-se jornalista na UFJF e estudou gestão cultural na USP e no SESC-SP. Na área cultural desde 2006, atua principalmente como produtora [...]

  • Retrato de Isabella Atayde

Isabella Atayde

Especialista em Comunicação e Cultura, mestre em Gestão Cultural, pós graduada em Gestão e Políticas Culturais, relações públicas, produtora cultural, poeta, fotógrafa, sambista, brincante, capoeirista. Fundou a Etcetera Produções para projetos ligados à educação e [...]

Meu cinema, Nosso território

Meu cinema, Nosso território chega em sua quinta edição como um movimento de expansão da compreensão do setor audiovisual, entendendo o cinema como fruição, território, diversidade, potência coletiva, de experimentação e reafirmando a sua função social.

Laboratório de experiências audiovisuais e seus desdobramentos na prática singular da câmera no Território, Meu cinema, Nosso território provoca desvios, cria deslocamentos dos estigmas hegemônicos e padronizantes do cinema clássico/comercial para um outro colaborativo, inclusivo e crítico.

Fazer artístico/coletivo/colaborativo aliado ao pensamento crítico e à convivência com criadores de variadas trajetórias e faixas etárias. Apoia-se na ideia de deslocamento como ponto em comum – na perspectiva, nos suportes e, também, geograficamente. O deslocamento criativo é reflexo do que o projeto se firma: a descentralização e democratização dos cinemas e das práticas audiovisuais. Desejo de desvio do caminho já traçado, desestabilizar para estabilizar, criando novas possibilidades. O roteiro propõe atravessar e ser atravessado pelo território do norte e noroeste de Minas Gerais e pensar a produção audiovisual que dele surge de forma crítica e geradora de conhecimento.

realização

apoio

patrocínio